8.11.16

Roubo

8.11.16

Roubaram-me 
A calma
O ar
A inocência
Os olhares
A liberdade
Vontades
As noites
E os anos.
Roubaram-me
A paz
A esperança
E o amor.
Roubaram-me 
Os motivos que faziam rir
Só não me furtaram as palavras
Aquelas que tanto me debelam
Que me fazem divagar 
Rouba-me tudo o que tenho,
Mas não me roubes a poesia,
A força das palavras
Porque sem elas
Eu ficaria
Vagando nos caminhos
Da minha existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre notas de rodapé - 2017

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©