6.11.16

Perdão!

6.11.16

Ei, perdão!
Por te amar de repente
E deixar-te tão desconsertado
Com meus abraços apertados
Perdão!
Mas eu não sei fazer isso
Sem demonstrar o quanto
Tu me fazes bem,
O quanto tu me completas
E deixa meus dias vibrantes
Qual ipê amarelo 
Nos auges dias da primavera
Ei, perdão
Se meus olhos 
Te consomem por inteiro
Eles só querem beber-te
De uma forma carnal
Apenas peço-te perdão, amor
Por ser assim, 
Nas águas do pélago
Essa brisa solta
Castigando o mar 
Por sua sutileza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre notas de rodapé - 2017

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©