26.10.16

O amor deixou-me nua

26.10.16

Delicadamente desceu-me do salto da autossuficiência 
E me fez caminhar com pés descalços ao seu lado. 
Retirou-me os adornos de vaidade 
Que voltavam olhar para a superficialidade.
Depôs suavemente manto do orgulho que pesava os braços à se abrirem. 
Rasgou em um golpe voraz a veste do julgamento, 
Fazendo voar os botões de preconceitos que a prendiam... 
Com firme delicadeza removeu toda e qualquer peça 
Que ainda revestia em timidez a essencialidade.
O amor deixou-me nua. 
Fitou-me despida e assim amou e fez amar, a mim.

Isabela Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre notas de rodapé - 2017

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©