29.10.16

Bendito seja!

29.10.16

Bendito seja o Deus amazônico, 
Revelado na luta do caboclo 
Pescador de sonhos e esperanças 
Nas águas barrentas desses rios sinuosos. 

Não procuro algo distante 
Pois sou bem feliz aqui. 
Desta terra sou amante 
Desde os meus tempos de curumim. 

Que seja bendito o curumim e cunhantã, 
A fauna, a flora, 
O valente remador, 
Que na sua mansidão 
Não se cansa de lutar. 

Bendito seja o Deus amazônico, 
Deus de rosto indígena, negro e nordestino, 
Mistura de raças, cores e sabores 
Filhos da Pachamama. 

Povo altaneiro, 
Nativos de ajuricaba! 
Ouvindo o ronco das onças, 
E o canto da passarada, 
Levantando suas juventudes, 
Para uma grande caminhada. 

Bendito sejam as Mães amazônicas, 
As Marias, Raimundas e Rosas 
Fascínio da simpatia, 
Flores da Vitória régia. 

Somos Amazônidas! 
Da terra onde canta o uirapuru 
Bebemos a mesma água, 
Barrenta do Solimões, 
Esse rio grandioso, 
Estrada do nosso altar! 

Ave, Amazonas! 
Batizada Terra dos tupinambás, 
és uma terra singular!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre notas de rodapé - 2017

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©