26.10.10

Vida, tua cor colore o céu...vida, teu calor acende a luz

26.10.10
Momentos da Vida
Toda a minha origem deu-se assim...
Meus pais se conheceram no ano de 1990, quando o meu Pai, foi para Carauari, assumir a coordenação do departamento do Movimento de Educação e Base (MEB), este uma organização  da CNBB, que atuava em diversos movimentos populares  de assessoria as bases e lideranças comunitárias. Minha mãe já tinha atuação nesses movimentos como voluntária, junto aos Padres do Espírito Santo que estava na Paróquia da cidade naquela época. Com essa participação cada vez mais ativa, eles se conheceram. Ele era um jovem vindo de Belo Horizonte ela uma mulher do Amazonas. Por essa aproximação ainda maior, começaram um relacionamento de namoro e logo após passaram a morar juntos. Chegaram até se separar por alguns meses. Depois de alguns meses resolveram voltar, morar na mesma casa e assumir de vez o relacionamento. No final de 1991, minha mãe soube que estava grávida de mim. Por circunstâncias políticas e conflitos com o poder público, meu pai pediu afastamento da equipe local e indo para o MEB Nacional em Brasília. Minha mãe, na altura do campeonato estava no oitavo mês de gravidez de mim. Por um certo tempo, depois que ele foi embora, mantiveram contato, mas depois não tiveram mais comunicação. Desde aí não tiveram mais nenhum contato. Minha mãe, Eulália, conta que o meu parto foi normal, na tranqüilidade. Foi aí que eu nasci no dia 26 de Maio de 1992, às 3:30 da manhã na Unidade Mista de Carauari, em Carauari - Amazonas. Tenho apenas um irmão, Felipe Jucá de 25 anos, que mora em Manaus e está cursando o ultimo ano de Direito. Na minha vida tenho muitos momentos felizes e tristes também. Um momento marcante e de extrema felicidade, foi em 2008, quando encontrei meu pai pela internet. Depois de 16 anos sem contato, o reencontrei. Ainda esse ano, pretendo conhecê-lo pessoalmente. Um dos momentos que ficaram marcados na minha vida, foi a morte de um primo meu, em 2004. Ele se suicidou, com uma forquilha. Toda a família foi pega de surpresa com esse ato violento que o próprio  o fez.
Sou assim: lindo por natureza, sinônimos de beleza...Uma pessoa alegre, extrovertida, que gosta muito de rir e que vive a vida sem medo de arriscar. Meu relacionamento com minha família, amigos, namorada e na própria comunidade que participava era muito boa.  Com minha família, sempre houve amor e carinho. Havia também momentos de discussões. Nada que fosse grave demais. Verdadeiramente sou abençoado por Deus pelos amigos que tenho. Guardo-os comigo com todo carinho. Já com as namoradas, tive momentos ótimos ao lado delas, algumas eram muitos ciumentas e por conta disso o namoro não deu certo.
Considero-me um homem um pouco reservado, comunicativo e meio tímido às vezes. A liberdade pra mim é uma coisa essencial. sou uma pessoa livre para fazer o que agrada a mim e aos que estão ao meu redor. A sinceridade na vida de uma pessoa é muito importante e na minha não é diferente. Ela é essencial para uma boa convivência. Em questão de tempo sei organizá-lo sempre e a pontualidade também fica presente.
Celebração do Crisma em 2007
A religião na minha vida torna-me uma pessoa melhor a cada dia que passa. Minha dedicação total à Igreja vem desde 2004, quando comecei a participar ativamente das Pastorais: Liturgia, Coroinha, Catequese e Grupo de Jovem. Com todos esses serviços na Igreja, pude perceber o quanto Deus precisa de operários para trabalhar na sua vinha. Hoje estou no Seminário dos Missionários da Sagrada Família, na etapa do Propedêutico (primeiro ano de estudo). Deus na minha vida tem presença constante, pois ele me ampara e protege. É minha inspiração de vida. A oração vem para me fortalecer cada vez na vida, são momentos de profunda interiorização.
Eu e minha mãe Eulália
Sinto-me hoje realizado e muito satisfeito com tudo o que tem acontecido e feito na vida, apesar de estar longe das pessoas mais queridas. Valores que levo constantemente em minha trajetória são amizades, verdade e justiça. Todos esses valores são de extrema importância na minha vida. Penso que as relações que tenho com outras pessoas são boas. Em certos momentos sou estressado, e isso muitas vezes magoa algumas pessoas. Sei ser amigo nas horas de aflição e também nos momentos de felicidade.  Enfim, sou assim...alguém que busca em Deus a verdadeira maneira de viver.
Não tenho medo da vida. Tenho medo de não vivê-la... (Augusto Cury).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Entre notas de rodapé - 2017

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©